9 fev 2021

Crítica – Série True Blood.

 

Salut mes amours ✨

Hoje trago para vocês um pouco dessa série que ganhou meu coração, True Blood.

Baseada nos livros da escritora de fantasia Charlaine Harris , True Blood criada por Alan Ball veio para mexer com nossa cabeça e coração.

•––––––★––––––•
Título Original: True Blood. Criação: Alan Ball.
Gênero: Drama, Fantasia, Mistério, Romance, Thriller. Ano de Estreia: 2008 até 2014.
País de Origem: Estados Unidos Da América. Nota no IMDB: 7,8.
•––––––★––––––•

A série se passa em um mundo aonde ‘á mascara’ dos vampiros caiu e eles foram revelados para o mundo, nesse mundo existe a bebida ‘True Blood’ um sangue sintético que é capaz de nutrir os vampiros, fazendo com que eles não precisem mais se alimentar dos humanos, a questão é , todos os vampiros estão dispostos a viverem apenas do sangue sintético?

Uma das coisas que mais me prendeu a série foi com certeza a trama , ela é baseada em romance, jogos políticos e de poder, interesses pessoais , preconceitos e a famosa questão ‘como Deus veria os vampiros?’ , ‘o que a igreja faria?’ me lembrando bastante o RPG Vampiro Á Mascara.

A série conta com uma grande demanda de fantasia, envolvendo seres místicos como lobisomens, fadas, metamorfos e o lado espiritual da coisa toda , uma das coisas que me fez gostar muito da série é que ela sai do clichê a personagem principal Sookie Stackhouse nem sempre rouba a cena, eles conseguem fazer com que todos sejam personagens importantes a sua maneira, aonde você acaba criando um vínculo com cada um que vai aparecendo.

Temos um total de 7 Temporadas , nas primeiras somos envolvidos por romance, Sookie conhece o vampiro Bill e acompanhamos uma jornada para que os dois possam ficar juntos , mas não se enganem isso é só no começo, além do romance contamos com cenas chocantes de sexo , mortes , lutas e quebras de tabus muito interessantes ao longo da série inteira.

Durante a série nos pegamos torcendo para que alguns personagens simplesmente sumam logo do mundo e sofram a ‘morte verdadeira’ , jeito chamado pelos vampiros para a morte definitiva já que é muito difícil matar um vampiro a primeira vista.

O tato da série para o ‘ser humano’ é tão grande que ao longo dos episódios percebemos que até os próprios vampiros com seus sentimentos de superioridades não passam de humanos com sentimentos, amores, temores e vontades… no final vampiros não são tão ‘frios’ assim.

Personagens como Sookie, Tara, Jason, Lafayette, Bill Compton , Eric Northman , Jéssica Hamby , Pam , Jesus (sim tem um personagem com o nome de Jesus) nos marcam desde a primeira aparição na telinha, nos deixando com aquele gostinho de ‘não quero que essa série acabe nunca’.

É claro que nada é perfeito, então percebi alguns errinhos de continuação de uma temporada para a outra, como um vampiro que aparece com uma das presas arrancadas , na outra temporada ter elas perfeitamente normais… mas isso são detalhes coisas que não incomodam tanto, pois a série é muito mais que isso.

Uma série com severas críticas a nossa realidade e como vemos as pessoas diferentes de nós, criticas a igreja em geral, tradicionalismo, patriarcalismo, fanatismo, preconceito, e entre outros assuntos extremamente relevantes para o mundo de hoje.

True Blood com certeza sempre será uma série muito atual a indico não só para os amantes de vampiros, mas também para os amantes do diferente, do novo, do que mexe com nossa zona de conforto.

Siga no instagram @leportraitdeisa