14 maio 2019

Resenha – A Retornada.

Tag Livros – Inéditos de Março,2019.
Título Original: L’Arminuta.
Autora: Donatella Di Pietrantonio.
Editora: Tag Livros
Páginas: 176.
1° Edição Brasileira: 2019.

Esse livro me pegou desprevenida, não esperava conhecer uma história tão cheia de dúvidas e incertezas de uma menina de 14 anos. A história se passa na Itália, entre uma cidade litorânea grande e um vilarejo nas montanhas, mundos completamente diferentes. Até a metade do livro me senti muito confusa com o rumo da história.
Adriana a irmã mais nova é um ser humano incrível, digo ser humano porque ela jamais foi 100% criança, sempre esperta e pronta para se virar, Adriana é tão madura na sua idade quanto uma mãe de família de 50 anos e tão sonhadora quanto uma criança de 05.

Todos os personagens tem suas histórias distintas, Vincenzo com seus amigos ciganos misteriosos, a mãe com suas perdas e desafios e o pai que precisa cuidar de uma família muito grande com tão pouco dinheiro.

Nós sabemos que a morte é uma coisa inesperada, mas devido ao ambiente do livro e de como a história transcorre, quando a morte chega nesse livro ela nos pega de surpresa, nos assusta, afinal quando achamos que as coisas estão melhorando, algo pior acontece. Embora seja um livro curto as histórias são muito bem ambientadas, descritivas e cheias de significados.

Uma das histórias que mais me encantou e chamou a atenção foi a de Dona Carmella, uma benzedeira que conhece de contos, magias e futuro, ela nos mostra outro lado da mãe biológica da Retornada, nos faz sentir as dificuldades que a mãe biológica tem e passa, fazendo com que a raiva que acabamos sentindo por ela, vire, pelos menos em partes, empatia.

Uma coisa que não entendi e que confesso que me revoltou de uma maneira que eu não consegui lidar até o final do livro, foi a atitude de Adalgisa e seu marido, e também não me agradou muito o jeito repentino que o livro acaba.

Porém conhecer a personagem principal, Adriana, Vincenzo, Giuseppe, Carmela e todos os outros personagens é uma viagem gostosa ao interior da Itália, aonde descobrimos o dialeto falado pelos camponeses e como, embora seja tudo muito bonito e fértil no solo, também é muito sofrido.

A Tag Inéditos me surpreendeu com esse livro de leitura rápida e ao mesmo tempo complexa, embora tenha alguns contras que me deixaram chateada, mas que não posso contar aqui, é uma leitura de no máximo 02 dias que vai te levar a um ambiente mágico de uma cidade grande na Itália a um vilarejo nas montanhas, com parques itinerantes e ciganos fanfarrões, mostrando que a vida não é fácil, mas que tudo pode ser superado, e que com uma boa conversa e compreensão pode-se resolver qualquer problema.

“Olhar para o nosso interior da vertigem. É uma paisagem desoladora que a noite tira o sono e fabrica pesadelos no pouco que nos deixa.”