9 abr 2019

Resenha – O Que Aconteceu com Annie.


Clube Intrínsecos Março 2019.

Título Original: The Taking of Annie Thorne.
Autora: C.J. Tudor.
Editora: Intrínseca.
Páginas: 288.
1° Edição Brasileira: 2019.

Quando vou escolher um livro na minha estante, faço um sorteio pedindo para meus parentes escolherem um número aleatório, eu sabia que o dia de ler esse livro chegaria eu já temia isso, e quando meu namorado sorteou ele, eu confesso que hesitei, mas tomei coragem para ler.

Eu nunca li um livro de terror e nem assisto filmes pois eu realmente tenho medo, mas decidi me arriscar, adotei então métodos de leitura para diminuir meu medo, esses métodos vocês podem ver clicando aqui.

Em alguns dias, consegui terminar o livro e aqui estou eu para falar o que eu senti de tudo isso.

Quando comecei o livro tinha a sensação que ele parecia mais um livro de mistério policial com suspense e terror psicológico, porém o epílogo já me arrepiou os pelos da nuca, por mais que seja apenas uma cena de crime, dá para sentir que tem algo mais ali.

Lembro de ter pensado ‘acho que não terei muitos quotes desse livro.’ Porém vos trago um:

“É engraçado como os maiores blefes são os que lançamos para nós mesmos.”

Encontramos um homem de meia idade Joe Thorne, voltando para sua cidade natal, aonde seus piores pesadelos  aconteceram, morte de um amigo, traumas de infância e a perda de seu pai e sua irmã.

Joe é sarcástico, beberrão e viciado em jogo e encontra na volta um meio de fugir de suas dívidas e ter um tempo para pensar no e-mail misterioso que recebeu a alguns meses atrás.

Tudo parecia relativamente normal até ele precisar começar a resolver e revisitar não só traumas do passado, mas os lugares também, esse lugar é a antiga Mina de Carvão da cidade de Arnhill, todo o mistério se desenvolve a partir de uma caverna encontrada dentro da mina, uma caverna mais antiga do que os muitos anos em que a cidade foi inaugurada, uma caverna que esconde dor, sofrimento e sombras…

Por incrível que pareça a pior coisa que aconteceu na vida de Joe Thorne, não foi sua irmã Annie ter sumido, muito pelo contrário o problema foi ela ter voltado. Todos os envolvidos não só pensavam mas tinham certeza de que Annie nunca mais voltaria.

Só de pensar na história já tenho arrepios, mas fiquei muito orgulhosa de mim mesma por ter terminado de ler um livro, mesmo com medo percebi como C.J. Tudor é uma escritora incrível que nos envolve na história como se (DEUS ME LIVRE) estivéssemos vivendo no vilarejo, perto da mina, perto dos mistérios.

Para os corajosos que decidirem ler, boa sorte, para quem não conseguir, tudo bem eu também não sabia se conseguiria!

“Não se pode julgar um livro pela capa, mas, com certeza, pode-se julgar o dono do livro.”