10 jan 2019

Resenha – O Silmarillion.

💎 Nome Original: The Silmarillion.
💎 Páginas: 480.
💎 Ano de Publicação: 1977.
💎 Editora: Wmf Martins Fontes.
💎 Ilustrador da Capa: John Howe.
💎 Autor: J.R.R. Tolkien. Publicado postumamente, pelo seu filho Christopher Tolkien com a assistência do escritor de ficção de fantasia Guy Gavriel Key para reconstruir algumas partes principais.

Quando decidi começar a ler o Silmarillion como minha primeira leitura do Tolkien, fui alertada por minha amiga Anne e Amanda de que era uma leitura extremamente complexa e difícil, que talvez seria uma boa pedida começar com o Hobbit, porém teimosa como sou, decidi ler O Silmarillion mesmo!

O livro realmente é muito complexo, pois afinal ele se trata nada mais nada menos do que a história da criação da Terra Média.

Somos apresentados ao poderoso criador de Arda (a terra) o todo poderoso Ilúvatar que através de seus pensamentos criou os Ainur, seres extremamente poderosos e sagrados que ajudaram Ilúvatar na criação da terra.

Os Ainur’s são os seguintes:

  • Ulmo – que seria responsável por toda água e profundidade dos oceanos e rios.
  • Manwe – o mais sábio, representado pelo elemento ar.
  • Aüle – representado pelo elemento terra, tem sua alegria no ato e no resultado de fazer, por isso ele sempre dá e não acumula e sempre se interessa por uma nova obra, pelo novo.
  • Melkor – o último e tão poderoso quando Aüle (que só era menos poderoso que o próprio Ilúvatar.) ao contrário de seu irmão, Melkor era rebelde, questionava tudo o que Ilúvatar pensava e sempre queria pensar mais, ter mais, ser mais.

Além desses citados, temos também Oromë, Mandos, Lorien e Tulkas.

Créditos: Link na Foto.

Achei essa ilustração (link na imagem) MUITO legal, pra vocês terem uma ideia de quão grandiosos esses seres são.

Eu podia passar anos e escrever outro livro sobre como é entender a criação da Terra Média e como é descobrir o mundo de Tolkien de uma maneira que nunca imaginei descobrir, temos uma tempestade tão grande de informações que fica difícil assimilar tudo em apenas algumas horas de leitura.

Com o livro compreendi a grandiosidade de Tolkien, aprendi como os Orcs foram criados e que os Balrogs são espíritos valaraukas que também podem ser chamados de Flagelos de Fogo e como existia um exército deles (sendo que no filme, um só já causa grande estrago.) imaginem um exército!

Descobri que a aranha que vemos no filme O Senhor dos Anéis é cria de uma aranha muito maior, muito mais assombrosa e de uma importância enorme na história toda.

Aprendi que as Silmarils foram feitas pelos noldors os elfos mais habilidosos que já existiram e como elas foram perdidas por orgulho e medo.

Descobri que o final do ultimo filme de O Senhor dos Anéis tem um significado tão grande para a história da Terra Média e de Tolkien, que não só fiquei minutos parada olhando o nada, perdida em pensamentos, como também chorei com o que havia acabado de descobrir.

Aprendi que os anões também podem ser chamados de Naugrim e são a raça mais antiga da Terra Média, permita-me o spoiler, mais antigos até que os próprios Elfos.

Além de todos esses ensinamentos, Tolkien nos da histórias e baladas, maravilhosas ao decorrer do livro, sendo na minha mais humilde opinião uma das mais memoráveis a Balada de Lúthien (que inclusive foi lançado livro recentemente.) , aonde conta-se a bela história de amor entre Beren o homem e Luthien a elfa, que era simplesmente filha de uma Maiar (seres que de tão poderosos serviam aos próprios Valar, como amigos.) sendo Luthien o mais belo ser que já existiu na Terra Média.

Vou colocar aqui um dos momentos (que na minha opinião) é um dos mais belos do livro o encontro de Elwë (Thingol) e Melian a Maiar.

‘Ela não proferiu nenhuma palavra, mas cheio de amor, Elwë aproximou-se e pegou-lhe na mão, e, acto contínuo, caiu sobre ele um encantamento, de modo que ficaram assim enquanto longos anos eram medidos pelas irrequietas estrelas que os cobriam; as árvores de Nam Elmoth tornaram-se altas e escuras antes de eles proferirem qualquer palavra.’

Também descobrimos a linhagem de Aragorn e como seu povo, os númenorianos, foram importantes e sábios, porém fracos quando se dobraram a vontade do mal, acabando assim com sua própria raça, deixando apenas poucos herdeiros.

E que na minha mais humilde opinião, a queda de Numenor foi mais do que merecida, afinal é uma burrice sem tamanho, homens e mulheres tão belos e sábios, quererem se voltar contra os próprios valar, mostrando assim que a raça humana é burra e imatura até na terra média.

Pude descobrir que Isildur é mais do que uma cena em um filme e que Galadriel é de uma época tão antiga que nunca nem se passou pela minha cabeça o quanto poderosa ela é.

Entendemos o porquê de Elrond ficar tão chateado por sua filha Arwen querer ficar com Aragorn na Terra Média , mas ao mesmo tempo que entendemos sua chateação entendemos a grandiosidade e como Elrond é mais velho e sábio que sua aparência.

Descobrimos a armadilha que os anéis dos poderes eram.

E eu podia falar mais e mais e mais, porém só lendo para entender a grandiosidade desse livro.

Mas quero terminar com chave de ouro, Gandalf, Radagast e Saruman, são com certeza muito, mas muito mais sábios e poderosos do que eles aparentam ser e o propósito de todos é maior do que qualquer coisa que o diretor tentou passar nos filmes.

Por isso meus amigos, por todos esses fatos, por todas essas descobertas, por todas essas maravilhas que aprendi e vim aqui compartilhar com vocês de um jeito tímido, pois não posso dar spoilers, peço a todos que já leram venham conversar comigo hoje sobre esse mundo maravilhoso!

E os que ainda não leram, vocês com certeza não sabem o que estão perdendo!

Termino essa resenha com uma das minhas citações favoritas do livro:

‘É que dá bem-aventurança e da alegria na vida há pouco a ser dito enquanto duram; assim como as obras belas e maravilhosas, enquanto perduram para que os olhos as contemplem, são registros de si mesmas; e somente quando correm perigo ou são destruídas é que se transformam em poesia.’

Para quem leu , assista e vídeo e coloque em imagens tudo o que lemos.
Para quem não leu, assista esse vídeo e corre pra ler, porque meu olha essas ilustrações.


Vídeo pego no Canal: Tolkien Talk.

Deixe seu comentário


2 Comentários

  • Excelente resenha , bem descritiva sem entregar o conteúdo do livro e cativante ao leitor . Meus parabens !

    • Muito obrigada, fico sempre muito feliz quando vocês gostam do que eu escrevo é com certeza gratificante!